A vida de um “Non-Native Speaker” em Berlim
9 de junho de 2017
Arte urbana: a cena do grafite em Berlim
20 de junho de 2017
Exibir Tudo

10 estilos de cervejas alemãs

Os alemães são o segundo povo que mais consome cervejas, perdendo apenas para os tchecos. Cada alemão consome, em média, 110 litros por ano. Os dados do ranking são da “Euromonitor”.

Além de grandes consumidores, os alemães também são grandes produtores de cervejas. São mais de 1350 cervejarias, responsáveis por mais de 5 mil marcas. O norte do país é o que mais se destaca na produção, enquanto a região sul tem como característica a presença de pequenos produtores artesanais.

A maioria das cervejas alemãs tem graduação alcoólica entre 4,7 e 5,4% – embora alguns tipos (Bockbier e Doppelbock) possam ter até 12% de teor alcoólico. A cerveja é tão apreciada no país, que tem sua própria festa. Em Munique, todos os anos, é realizada a Oktoberfest, onde são vendidos mais de 6 milhões de litros da bebida por edição.

Antes de seguirmos em frente, vamos definir primeiro o que são “estilos” de cerveja e “tipos” de cerveja. São nomes parecidos, praticamente sinônimos e que para muitas pessoas podem soar como exatamente a mesma coisa.

São inúmeros os estilos de cerveja e não teria como especificarmos uma quantidade exata. Ainda mais porque existem variedades em um mesmo estilo de cerveja, algo como um “subestilo” de cerveja. Podemos citar a “Weiss”, “Pilsen”, “Stout”, “Strong Ale”, entre outras milhares.

Ao contrário dos estilos de cerveja, os tipos de cerveja são apenas dois: “Ale” e “Lager”.

Lager

As “Lagers” são as cervejas mais consumidas no mundo, responsáveis, por exemplo, por mais de 99% das vendas de cerveja do Brasil. Originárias da Europa Central no século 14, são cervejas de baixa fermentação ou fermentação a frio (de 6 a 12°C), com graduação alcoólica geralmente entre 4 e 5%. Tem entre seus tipos mais conhecidos a “Pilsener” – ou “Pilsen” – tipo de cerveja originariamente criada no século 19 na cidade de Pilsen, região da Boêmia da República Tcheca.

Na grande maioria, as “Lagers” são mais secas, com maior predominância do malte e do lúpulo sobre os sabores e aromas provenientes da levedura. Por exemplo, as “Pilsens” brasileiras são extremamente leves, com pouco corpo e amargor, por isso que é bastante consumida gelada, para refrescar. Já as alemãs ou tchecas são mais amargas e encorpadas.

Ale

O que a difere das “Lager” é o tipo de fermentação, que é feita em temperaturas mais altas, geralmente entre 15 e 24°C e seus fermentos ficam suspensos nos tanques de fermentação. É um processo antigo de fabricação, o que fez com que as cervejas do tipo “Ale” fossem as únicas disponíveis até meados do século XIX, quando foi inventada a baixa fermentação (“Lager”).

Dada essa “antiguidade”, aliada principalmente à fermentação a quente, os sabores complexos, maltados e lupulados das cervejas “Ale” são incomparavelmente mais perceptíveis, sendo cervejas mais encorpadas e vigorosas. Assim ao longo dos séculos, surgiram inúmeros subtipos de cervejas “Ale”.

 

“Reinheitsgebot” – A Lei da Qualidade e Pureza

Se existe uma palavra para descrever as cervejas alemãs, a palavra é tradição. Isso se deve ao “Reinheitsgebot”, que significa “preceito de pureza”, uma lei institucionalizada na Baviera em 1516.

Esta lei visava estabelecer critérios de qualidade e pureza para a produção de cervejas na região. A lei se tornou nacional a partir de 1906. De acordo com “Reinheitsgebot”, os únicos quatro ingredientes usados para fabricação da cerveja devem ser lúpulo, malte, levedo e água.

Embora essa lei tenha sido flexibilizada a partir de 1988, com outros ingredientes sendo permitidos para atender às regulamentações europeias, a maioria das cervejarias alemãs ainda obedece às normas antigas.

10 estilos de cervejas alemãs!

Conheça agora algumas das principais cervejas produzidas e consumidas da Alemanha:

Pilsner: a maioria das cervejas nacionais que encontramos no mercado são “pilsners”, inspiradas nesse tipo de cerveja alemã. São cervejas refrescantes e fáceis de beber.

Helles: é um tipo de “pilsner” com mais malte e mais adocicada.

Mainbock: o nome “mainbock” significa “bock de maio”, é um tipo de cerveja de cor mais âmbar e gosto mais adocicado (característica das bocks) que é produzida durante a primavera do hemisfério norte.

Doppelbock: seu nome quer dizer “bock dupla” e isso se deve ao fato de ela ser mais forte e levar mais malte que as “bocks” tradicionais.

Oktoberfest: produzida na região de Munique durante a primavera alemã para consumo no outono (por volta de outubro). Tem coloração âmbar profundo e seu teor alcoólico pode chegar a 6%.

Schwarzbier: é a mais escura das cervejas alemãs. Tem sabor mais amargo, é leve e seu teor alcoólico fica em torno de 5%.

Rauchbier: é feita com uma quantidade maior de malte e se distingue também por esse malte ter um sabor mais defumado.

Weissbier ou Weizen: são feitas a base de trigo e possuem diferentes tipos entre si, sendo a “Hefeweizen”, típica do sul da Alemanha, a mais comum delas.

Altbier: é um tipo de cerveja produzido na região de Dusseldorf. Seu sabor amargo e frutado é uma das suas características.

Kölsch: esse tipo de cerveja só pode ser produzido na região de Colônia. Tem um sabor mais herbal e frutado.

Já experimentou ou conhece bem alguma(s) dessa(s) cerveja(s)? Conte para nós qual é a sua preferida!

 

Fontes:

https://www.papodebar.com

http://www.cervaleria.com

 

1 Comment

  1. Ludwigshafen disse:

    Já bebi uma cerveja alemã por nome holsten acho que esse o nome ! Muito saborosa ! Gostaria de saber se ainda existe !😂😂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.